Usuária do TikTok é condenada por ‘incitar a libertinagem’ no Egito

O Tribunal de Crimes Menores de Tanta, no sul do Egito, condenou uma jovem a três anos de prisão e a pagar multa de 18.750 dólares (cerca de 96.300 reais), por “incitar a libertinagem” por meio do aplicativo TikTok. Esta é a terceira vez na semana que uma usuária do ‘app’ senta no banco dos réus e é sentenciada sob acusação semelhante.

Hoje, a condenada foi Manar Samy, que havia sido presa em 1º de julho, após ter sido denunciada pela Promotoria Geral egípcia. Segundo a Justiça, com os vídeos que ela postava no TikTok ela pretendia “chamar a atenção e ganhar dinheiro”.

ASSINE VEJA

Os ‘cancelados’ nas redes sociais Leia nesta edição: os perigos do tribunal virtual. E mais: nova pesquisa sobre as eleições presidenciais de 2022

Clique e Assine

O juiz do caso, ao anunciar a sentença, ainda determinou uma fiança de 1.250 dólares (6.400 reais), que será paga. O advogado da ‘influencer’ lamentou o fato da cliente não poder ter contato com a filha.

A conta da jovem no aplicativo foi tirada do ar. A modelo, que já foi Miss Árabe 2019, compartilhava principalmente vídeos com dicas de moda no TikTok.

Continua após a publicidade

Samy é a terceira das chamadas “garotas do TikTok” a ser condenada nesta semana, depois que diversas usuárias de aplicativos populares foram detidas desde março deste ano.

Entre as acusações impostas, Haneen Hossam e Mawada al Adham, também condenadas no Egito, estão a incitação à libertinagem, cometimento de atos imorais e ofensa aos valores familiares do país.

(Com EFE)

Fonte:
https://veja.abril.com.br/mundo/usuaria-do-tiktok-e-condenada-por-incitar-a-libertinagem-no-egito/