Porto de Itajaí – Os gigantes estão chegando! | Brazil Modal

Os gigantes estão chegando!

Com esta frase em mente, o Superintendente do Porto de Itajaí, Engº Marcelo Werner Salles, saiu de um encontro na última sexta-feira (17), realizado na sede da Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí, onde também estavam presentes representantes da Autoridade Marítima (Marinha), Praticagem, Empresas de Rebocadores, Portonave, entre outros.

O motivo do encontro esteve relacionado a autorização e regulamentação da próxima etapa de manobras especiais previstas para ocorrer no início do mês de maio e consequentemente nos meses seguintes na área da nova Bacia de Evolução do Complexo Portuário de Itajaí (em frente ao molhe da Marina Itajaí, na Baía Afonso Wippel – Saco da Fazenda).

Na oportunidade, de acordo com uma programação, estão previstos para a realização de novas manobras, navios de até 350 metros de comprimento por 48,50 de boca (largura), incluindo-se dentro de um cronograma, navios que já operam na costa brasileira com até 337 metros.

Ainda em tempo, aguarda-se uma data certa para a realização da primeira manobra, mas até lá, a expectativa já é intensa:

“São embarcações de grande porte prestes a atracar em nosso complexo. Navios da classe de 337 com 48,5 metros de largura, que mudarão nosso padrão operacional. Estamos dando mais um passo para garantir o futuro do Complexo Portuário de Itajaí e assim nos enquadrarmos no mesmo nível de competição com os outros portos nacionais. Dentro do que podemos oferecer, manutenção de dragagem, reconstrução e realinhamento de berços, sinalização náutica, cuidados com o meio ambiente, entre outras especialidades, modestamente afirmo que não podemos ficar de fora do mercado e muito menos pensar em perder linhas ao qual já sinalizavam com a chegada desses navios maiores. Sendo assim, continuamos ativos e desde já preparados pelo que virá num futuro não tão distante”, ressalta Salles.

Assim como foram realizadas as 12 primeiras manobras especiais na primeira etapa, também se estudam mais 12 manobras de mesma categoria, ou seja: de acordo com os parâmetros operacionais deste tipo de navegação, serão 06 manobras de saídas e mais 06 manobras de entradas de ré no canal interno, com giros anteriores ou posteriores na área da nova Bacia de Evolução.

A Marinha também está considerando como manobras especiais, também as entradas e saídas sem giros, podendo chegar ao número de 24, sendo 12 entradas/saídas com giros e 12 entradas/saídas sem giros de navios.

O histórico das obras da nova Bacia de Evolução aponta seu início para dezembro de 2012 através de estudos e simulações. Em abril de 2013 foi realizado um projeto básico de engenharia com estudos de viabilidade técnica e econômica. Em dezembro de 2014, ocorreu uma Licitação para execução da 1ª fase do projeto, vencida com uma proposta de R$ 103,9 milhões por meio de investimentos do Governo Estadual. Já em março de 2015, foi apresentada a Ordem de Serviço e Projeto Executivo e um ano depois, em março de 2016, oficializada a Ordem de Serviço para início dos trabalhos, e, um mês depois, em abril, iniciaram as obras. Em março de 2018 foi aprovado um Aditivo de contrato firmado entre Governo Estadual aumentando em mais de R$ 25 milhões o valor do projeto para a 1ª fase dos trabalhos. Em janeiro e fevereiro de 2019, ocorreram em São Paulo o processo de simulações náuticas e posteriormente os treinamentos da Particagem em Rotterdam (Holanda). Em março de 2019, foi encerrado o contrato entre a empesa privada responsável pelas obras da nova Bacia de Evolução e o Governo do Estado.

André Pimentel, Diretor Geral de Engenharia da Superintendência do Porto de Itajaí, lembra de todo o processo inicial, de todas as etapas das obras e principalmente da certeza em se adequar para o recebimento de grandes navios no Complexo Portuário de Itajaí:

“Há exatos dez anos atrás sabíamos que precisávamos melhorar nosso acesso aquaviário para receber navios de grande porte. Precisávamos de uma nova Bacia de Evolução, pois senão ficaríamos limitados com navios de até 306 metros, e, fora do mercado competitivo portuário. Lá em 2009, tínhamos um limitante de navios com 278 metros de comprimento, e, com o passar dos anos chegávamos aos 282, 286, 292 e até 296 com 32 metros de boca (navios Panamax). Com estas dimensões chamávamos de navios Itajaímax, um nome que criei na épocade acordo com a tendência e limitações de tamanhos, e, agora com a vinda destes navios maiores (entre 330 e 350 metros e 48,50 de largura), podemos chamar de New Itajaímax. Para chegarmos onde estamos atualmente, realizamos toda uma parte de estudos técnicos, projetos básicos de engenharia, simulações náuticas, estudos de manobrabilidade, contratação da obra, passamos pela paralização e retorno para conclusão das obras da bacia, concomitantemente a isso nós desenvolvemos novas simulações náuticas, novos estudos de manobrabilidade, sempre tivemos o acompanhamento direto da Marinha e pró-ativo por parte da equipe de profissionais da Praticagem. Também gostaria de fazer uma importante referência a Praticagem, pois o local onde hoje está a atual Bacia para as manobras, foi escolhido por um dos Práticos, na verdade, uma excelente escolha do local.

Em maio de 2019, a Superintendência do Porto de Itajaí assumiu os investimentos necessários para a conclusão da 1ª fase, através de Assinatura de Aditivo no valor de R$ 40 milhões. Em junho de 2019, houve uma mobilização para a vinda da draga “Backhoe” para retomar os trabalhos de dragagem na nova Bacia de Evolução, tendo o aporte de R$ 5,5 milhões da Portonave. Em setembro do mesmo ano, em 2019, as obras da Bacia foram concluídas e estando apta para receber navios de até 336 metros de comprimento. Posteriormente foram entregues no mesmo período, na sede da Marinha do Rio de Janeiro, relatórios e estudos batimétricos. Um oficio foi enviado à Praticagem e à Marinha de Itajaí, para autorização das manobras experimentais (especiais) na área da nova Bacia de Evolução. Uma carta de intenções dos Armadores também foi protocolada para a primeira manobra na Bacia. Em outubro e novembro de 2019, foram realizados os procedimentos de homologação junto ao Centro Hidrográfico da Marinha (CHM-RJ) e alinhamento de datas para a realização da primeira manobra com navio de até 336 metros de comprimento na área da nova Bacia, cuja operação inédita foi realizada em 16 de janeiro de 2020.

“A liberação para as manobras dos navios de até 350 metros de comprimento na nova Bacia de Evolução do Complexo Portuário do Itajaí representa um enorme avanço para a economia de Santa Catarina, sobretudo no atual contexto. Teremos agora um dinamismo ainda maior no segmento portuário e em toda a cadeia logística, proporcionando melhores condições operacionais e alternativas às linhas de navegação, estimulando o desenvolvimento econômico e gerando empregos. A infraestrutura adequada estimula a expansão da atividade portuária, proporcionando segurança e eficiência ”, pontua Osmari de Castilho Ribas, Diretor Superintendente Administrativo da Portonave.

De acordo com o plano de ações estruturantes do complexo portuário de Itajaí, no que compreende sua readequação do acesso aquaviário, o valor total investido nesta primeira etapa da obra foi de R$ 174,6 milhões, sendo R$ 129 milhões oriundos do Governo do Estado de Santa Catarina através da Secretaria de Estado da Infraestrutura, R$ 40,1 milhões da do Porto de Itajaí e R$ 5,5 milhões da Portonave (Porto de Navegantes).

A nova Bacia de Evolução, nesta primeira etapa, contempla 500 metros de diâmetro e profundidade de 14,00 metros. A primeira manobra especial foi realizada em 16 de janeiro e houve ampla divulgação pela Autoridade Portuária e demais envolvidos. Considerada um momento histórico para a atividade portuária do complexo local, este tipo de manobra ganhou destaque inédito na América do Sul, e consequentemente todas as outras manobras foram realizadas com sucesso.

Para a segunda etapa de manobras especiais, o procedimento de fechamento de canal de acesso aquaviário ao complexo Portuário de Itajaí será interrompido por intervalos que podem ser de duas até três horas de duração.

A Autoridade Portuária (Superintendência do Porto de Itajaí) e Autoridade Marítima (Marinha), juntamente com os profissionais da Praticagem e das empresas de rebocadores, estarão proporcionando todas as normas de segurança de navegabilidade durante as manobras. Além do canal de acesso ficar interditado, também estarão interrompidas as atividades de rotina no Ferry Boat, Marina Itajaí e frota pesqueira. Após encerradas as manobras, todos estes locais estarão aptos a retornarem com suas atividades.

Durante o encontro, foram debatidas todas as análises referentes as manobras realizadas até o momento com os representantes da Marinha. Com a presença do Capitão dos Portos de Santa Catarina e Capitão de Mar e Guerra – Alexandre Lopes Vianna de Souzae do Capitão de Fragata e Comandante da Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí, Thales da Silva Barroso Alves, foram destacados assuntos como o reconhecimento por parte da Autoridade Marítima em relação ao desempenho e dedicação por parte de todos os envolvidos nestas operações, assim como todo o acompanhamento, diretrizes e cuidados gerais para garantir segurança de navegação nos dias de manobras.

Em 09 de janeiro, mediante documento emitido pela Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí, através de oficio, autorizava a realização das manobras especiais com navios de até 306 metros de comprimento por 48,50 de boca (largura). A primeira manobra especial foi realizada com sucesso em 16 de janeiro e todos que presenciaram a operação, comemoraram aquele momento com entusiasmo, principalmente por aqueles da classe portuária.

“Sem dúvida este é mais um degrau que estamos subindo. Todo esse planejamento, para concretizar e consolidar a nossa nova Bacia de Evolução, já concluída nessa fase inicial, onde o complexo já atende hoje navios de 306 metros e 48 de boca, entra em fase agora como grande objetivo, receber navios acima de 337 metros ou dentro destas dimensões, cujo os mesmos já navegam pela costa brasileira. Em termos de história do Porto de Itajaí, esse momento é muito significativo, ou seja, nesses 40 anos que estou aqui no porto seria o ápice de uma carreira, porque na realidade ao longo desses anos, a gente vem buscando atender os desafios que são colocados para nosso porto e nosso complexo, atender a demanda desses navios que foram crescendo então será exatamente um momento muito importante”, comemora Heder Cassiano Moritz – Diretor Geral de Operações Logísticas da Superintendência do Porto de Itajaí.

O local onde hoje estão sendo realizadas as manobras especiais (Baia Afonso Wippel – Saco da Fazenda), foi escolhida por um dos práticos mais antigos do quadro efetivo da Praticagem de Itajaí. As condições que o estuário local oferece, desde as boas condições da lâmina de água, juntamente com a infraestrutura do complexo portuário disponíveis, foram essenciais para o desempenho e amplo conhecimento aplicados na nova área da Bacia de Evolução:

“Houve uma sinergia muito grande entre todos os envolvidos para o sucesso destas manobras especiais em serem realizadas aqui no Complexo Portuário de Itajaí. São 17 Práticos, todos altamente profissionais, aptos e gabaritados que se aperfeiçoaram para enfrentarem as atuais condições operacionais. Em fevereiro do ano passado, 12 práticos estiveram em Rotterdam (Holanda), e, na oportunidade participaram de diversos treinos que foram primordiais para este ciclo de manobras, assim como os demais práticos, mais cinco, que foram também treinados aqui em Itajaí. Estamos contribuindo para a vinda de maiores embarcações e acima de tudo cumprindo todos os requisitos e níveis de segurança de navegação”, destacou Wallace Siqueira Bezerra– Presidente Praticagem.

Ainda com base na primeira etapa das manobras, neste novo ciclo, as operações estarão sendo totalmente acompanhadas, coordenadas e monitoradas pela Superintendência do Porto de Itajaí, Delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí (Marinha), Praticagem, Terminais Portuários (APMT e PORTONAVE), e empresas de rebocadores. Em área terrestre, no lado de Itajaí, para auxiliar no trânsito próximo a entrada do Ferry Boat, durante o horário de manobras, agentes de trânsito da Codetran estarão acompanhando a ação e promovendo a organização nas vias de acesso ao ferry boat. Inspetores da Guarda Portuária também estarão acompanhando os trabalhos de manobra e ficarão situados de fronte aos portões da empresa, em Itajaí e Navegantes, para dar segurança durante o período das manobras.

O Complexo Portuário de Itajaí é o segundo maior movimentador de contêineres do país. Somente com base nos números de 2019, seus dados estatísticos bateram o próprio recorde de movimentação de TEU’s (Twenty Foot Equivalent Unit – unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés de comprimento), em relação a 2018 quando foram contabilizados 1.232.824 contêineres, destacando um aumento de 7% – Na tonelagem, o aumento foi de 6% com 13.621.567 toneladas, e nas atracações, o aumento foi de 7% com 1068 navios atracados.Com a projeção das manobras especiais sendo evidenciadas, o momento já é um marco histórico para o Complexo Portuário de Itajaí, pois, com o apoio e união de forças de diversos envolvidos, não faltam motivos para comemorar a vinda de navios de grande porte:

“A nova Bacia de Evolução é um marco histórico para o Complexo Portuário de Itajaí e é fundamental para atingirmos o próximo nível de competitividade da região. A possibilidade de atender os navios maiores significa manter Itajaí na rota das principais linhas globais e permitirá que nossos clientes agreguem ainda mais valor às suas operações. Nosso grupo tem buscado tornar-se um verdadeiro integrador de logística e estamos muito animados para abraçar essa jornada. Aproveito também para parabenizar o excelente trabalho feito pela Autoridade Portuária, Praticagem de Itajaí e pelos Terminais APM Terminals e Portonave para o sucesso deste projeto”, destaca Aristides Russi Junior, Diretor Superintendente da APM Terminals.

O Complexo Portuário de Itajaí representa 70% da balança comercial do Estado e 5% da balança comercial do país. Para o Prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni, o momento é motivo de orgulho e satisfação, e acima de tudo, de reconhecimento por todos que diariamente trabalham em prol do crescimento do Porto de Itajaí e do complexo portuário num todo:

“Nestes mais de três anos em que estamos a frente, pudemos notar que o Porto de Itajaí e seu Complexo num todo, está trabalhando de forma plena. Precisamos manter a união de forças e assim dar segurança para esta atividade econômica. Já demos o primeiro passo com a entrega das obras da nova Bacia de Evolução e hoje o resultado está aí para todos virem. Que venham estes navios e consequentemente no futuro estaremos preparados para receber navios maiores ainda, pois Itajaí não pode ficar de fora da atividade portuária nacional e internacional”.

2ª etapa das obras da Bacia de Evolução (navios de 366 a 400 metros de comprimento):

Em setembro de 2019, membros da Superintendência do Porto de Itajaí, APM Terminals, Portonave, Prefeitura Municipal de Itajaí, Câmara de Vereadores de Navegantes, Associação Empresarial de Navegantes, representantes de entidades de classes e de demais instituições públicas e privadas, estiveram reunidos com Senadores e Deputados Federais que representam o Fórum Parlamentar Catarinense na sala de reuniões das Comissões da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC).

Na oportunidade foi entregue uma “Carta de Apoio Institucional para dar início pela2ª Etapa das Obras de adequação nos acessos aquaviários do Complexo Portuário de Itajaí.

O documento destaca a realidade dos compromissos assumidos pelo Governo Federal e as discussões para viabilização e processo licitatório da obra. Com o término da primeira etapa das obras em agosto do ano passado, dada a sua importância e dimensão para executar a segunda etapa da implantação da nova bacia de evolução para atender navios de até 400 metros de comprimento e 65 metros de largura, já possui previsão de recursos da União de aproximadamente R$ 250 milhões, previstos no Plano Plurianual (PPA – Ministério da Infraestrutura) de 2020 a 2023. A obra também já está projetada e licenciada ambientalmente.

Concluída as obras da segunda etapa, o Complexo Portuário de Itajaí poderá operar com navios de até 366 metros de comprimentos e 51 metros de boca (largura), podendo receber embarcações de até 400 metros de comprimento.

Fonte: Porto de Itajaí

Fonte:
http://brazilmodal.com.br/2015/highlights/porto-de-itajai-os-gigantes-estao-chegando/