Náufragos que escreveram ‘SOS’ na areia são resgatados no Pacífico

Três homens foram resgatados por autoridades americanas e australianas no Oceano Pacífico na segunda-feira 3 após terem escrito “SOS” na areia de uma ilha na qual estavam presos.

Os homens realizavam uma viagem de pouco menos de 42 quilômetros entre Pulawat e o Atol de Pulap, localizados nos Estados Federados da Micronésia, na quinta-feira 30, quando o pequeno barco ficou sem combustível. O mar, então, arrastou a embarcação até a pequena ilha inabitada de Pikelot, que fica a 118 quilômetros do destino inicial.

ASSINE VEJA

Os 10 fazendeiros que mais desmatam a Amazônia Leia em VEJA: Levantamento exclusivo revela os campeões da destruição. Mais: as mudanças do cotidiano na vida pós-pandemia

Clique e Assine

Quando os marinheiros não chegaram ao destino final, a Guarda Costeira dos Estados Unidos, que fica estacionada em Guam, também na Micronésia e a 800 quilômetros das ilhas, foi acionada.

Os três foram avistados primeiro por um avião de carga americano que decolou da base da força-aérea americana em Guam. A aeronave estava patrulhando por horas e já estava no fim de sua rota quando avistou o pedido de socorro.

Continua após a publicidade

“Estávamos no fim da patrulha”, disse o piloto tenente Jason Palmeira-Yen. “Viramos (o avião) para evitar torrentes de chuva, olhamos para baixo e vimos uma ilha, então decidimos dar uma olhada. Foi nesse momento que avistamos o sinal de SOS e um barco ao lado na praia”, disse. O piloto, então, entrou em contato com a marinha australiana que estava por perto e que tinha dois helicópteros.

Primeiro, um helicóptero australiano que decolou do navio anfíbio de assalto HMS Canberra pousou na areia, deu comida e água e analisou a situação física dos homens. Depois, um avião C-130 americano lançou de paraquedas sistemas de rádio para os náufragos se comunicarem com um barco de resgate enviado para retirá-los da ilha.

Segundo um comunicado conjunto, toda a ação seguiu as normas de segurança por conta da pandemia de Covid-19.

Continua após a publicidade

“Parceria foi o que fez esse resgate possível”, afirmou o comandante da Guarda Costeira americana em Guam, Christopher Chase.  “Através da coordenação com diversas organizações, nós conseguimos salvar três membros de nossa comunidade e levá-los de volta a suas famílias”, disse.

Embora tenha começado apenas como uma sequência de código morse criada para uso marítimo para expressar algum problema ou perigo, a expressão passou a ser associada às frases em inglês “Save Our Souls” (Salvem Nossas Almas, em tradução livre)” e “Save Our Ship” (Salvem Nosso Barco, em tradução livre). A sequência de letras foi escolhida pela facilidade para formá-las e para memorizá-las no Código Morse Internacional, já que o “S” é formado por três pontos e o “O” é formado por três traços.

Fonte:
https://veja.abril.com.br/mundo/naufragos-que-escreveram-sos-na-areia-sao-resgatados-no-pacifico/