JSL reverte lucro e tem prejuízo de R$86,3 Mi no primeiro trimestre de 2020 com impairment da movida | Brazil Modal

O grupo de logística JSL registrou prejuízo líquido de R$ 86,3 milhões no primeiro trimestre de 2020, revertendo o lucro líquido de R$ 60,8 milhões visto no mesmo intervalo do ano passado. O resultado, de acordo com a companhia, se deve a um ajuste no valor recuperável (impairment) da frota de automóveis feito pela Movida, principal controlada do grupo. Esse ajuste também reverteu o lucro da empresa de aluguel de carros, que divulgou ontem o balanço trimestral.

Na JSL, o impacto negativo na linha do lucro foi de R$ 169,5 milhões. Sem o impairment, o grupo teria registrado lucro de R$ 83,2 milhões, o que representaria alta de 36,8% na comparação anual. No release de resultados, a direção da JSL ressalta que o ajuste no valor dos ativos feito pela Movida foi uma medida “conservadora” diante da pandemia da covid-19, e que não tem efeito sobre o caixa. No caso da JSL, o efeito foi menor do que o visto na Movida devido a impostos diferidos, que tiveram impacto positivo, e a provisões para fechamentos de lojas e impacto tributário por não declaração de juros sobre capital próprio, fatores que entraram na conta com sinal negativo.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), também com o efeito da baixa no valor de ativos da empresa de aluguel de carros, foi de R$ 316 milhões, queda de 33,5% em um ano. Sem o impacto, que neste caso ficou em R$ 245,7 milhões, o Ebitda teria chegado a R$ 561,7 milhões, alta anual de 18,4%.

A receita líquida do grupo no trimestre foi de R$ 2,356 bilhões, alta de 6,6% em relação ao número visto um ano antes. A Movida seguiu respondendo pela maior parte do total, com R$ 1,011 bilhão, alta de 24,5% na comparação anual. Na mesma base de comparação, a receita da JSL Logística, segunda maior operação, caiu 12,5%, para R$ 693,8 milhões.

As despesas financeiras, de R$ 170,2 milhões, ficaram 5,5% abaixo do total visto no primeiro trimestre de 2019. A queda é explicada pelos juros financeiros líquidos 51,1% menores em um ano, em R$ 85,3 milhões, por conta da queda da taxa de juros e da gestão de passivos pela empresa. As receitas financeiras, por sua vez, cresceram 81,9%, para R$ 202,5 milhões. A JSL afirma que o uso de derivativos cambiais não teve impacto relevante nos números finais

Na mensagem da administração, o grupo afirma que para enfrentar a crise provocada pela pandemia da covid-19, reforçou o caixa no final do trimestre, que passou a ser o suficiente para cobrir a amortização da dívida de curto prazo em 2,5 vezes.

No final do trimestre, a JSL contava com R$ 4,093 bilhões em caixa e aplicações financeiras, e dívida bruta de R$ 12,106 bilhões. Como resultado, a dívida líquida da empresa era de R$ 8,012 bilhões. Do total da dívida bruta, R$ 1,782 bilhão tinha amortização em curto prazo, ou seja, nos 12 meses seguintes.

 

Fonte: Estadão

Fonte:
http://brazilmodal.com.br/2015/highlights/jsl-reverte-lucro-e-tem-prejuizo-de-r863-mi-no-primeiro-trimestre-de-2020-com-impairment-da-movida/