Exportação de autopeças cai 20,3% em março por causa da pandemia | Brazil Modal

As ações de combate ao coronavírus afetaram parcialmente o comércio internacional de autopeças em março, sobretudo a partir da segunda quinzena. As exportações no mês somaram US$ 528 milhões, resultando em queda de 20,3% em relação a fevereiro. É uma retração importante quando se considera que os embarques no terceiro mês são quase sempre melhores que os do segundo.

No acumulado do ano, as exportações de autopeças totalizaram US$ 1,58 bilhão, valor 12,9% mais baixo que em iguais meses de 2019. E as importações de US$ 2,46 bilhões também resultaram em queda, neste caso de 10,1%. Como consequência, a balança comercial fechou o primeiro trimestre com déficit de US$ 879 milhões. O valor é 4,8% menor que o anotado em iguais meses de 2019.

A retração no comércio externo reflete a queda de produção de veículos. A análise de março isoladamente também mostra que as exportações tiveram quedas importantes para os principais destinos, como Argentina (-17,4%), Estados Unidos (-22,5%) e México (-18,5%). No acumulado do ano, e nesta mesma ordem, o Sindipeças informa -4,4%, -36% e -10%. A Argentina permanece como principal destino das autopeças brasileiras. O Brasil exportou para lá no primeiro trimestre US$ 329,5 milhões em componentes. O valor equivale a 20,8% de todas as vendas externas do segmento.

COMPRAS DA CHINA CAEM 14,5% EM MARÇO

No caminho oposto, as importações, também houve queda no mês de março no comércio com os três principais fornecedores: China (-14,3%), Alemanha (-44,7%) e Japão (-2,7%). O acumulado do ano traz, respectivamente, -6,8%, -10,6% e -10,5%.

No acumulado do ano, as autopeças chinesas somaram US$ 404,5 milhões, o equivalente a 16,4% de todas as compras externas de componentes. O Sindipeças recorda que o fechamento de mercados e dificuldades impostas pela pandemia de Covid-19 terão grande impacto nos números de abril.

Fonte: Automotive Business

Fonte:
http://brazilmodal.com.br/2015/highlights/exportacao-de-autopecas-cai-203-em-marco-por-causa-da-pandemia/