Congresso do setor de biscoitos espera fechar US$ 10 milhões em exportações | Brazil Modal

Entre os dias 19 e 21 de março, Florianópolis receberá o 17º Congresso Internacional da Indústrias, evento bianual focado no fortalecimento do setor de biscoitos, chocolates, balas, massas alimentícias e bolos industrializados. O evento pretende gerar mais de US$ 10 milhões em novos negócios (R$ 46,8 milhões), somente em exportações para as Américas Latina e do Norte, além da África do Sul.

Organizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (Abimapi) em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), o congresso deve reunir cerca de 300 participantes, entre importadores e representantes da indústria nacional.

As inscrições custam entre 1,5 mil e 2,9 mil e podem ser feitas online, até a próxima sexta-feira (13).

Produtos

Entre os representantes nacionais de destaque já confirmados estão o gaúcho Lugano, especializados em chocolates finos e Massa Leve; os paulistas Marilan, Renata e Santa Helena, da indústria de amendoim; e a paranaense Vapza, de alimentos cozidos no vapor e embalados a vácuo.

Do outro lado da mesa estarão nove distribuidores e varejistas internacionais, sendo duas empresas dos Estados Unidos, duas da Colômbia e duas do Chile, além de representantes da Argentina, Canadá e África do Sul. O grupo está dividido entre empresas que mantém regularmente contratos de importação com Brasil e aquelas que pretendem fechar parceria pela primeira vez.

“Os biscoitos são tradicionalmente os produtos mais importantes da rodada de negócios. Isto porque o Brasil é o terceiro maior produtor de biscoitos do mundo e é visto internacionalmente como uma país com uma grande diversidade nesta indústria, tanto em relação a formatos, sabor e embalagem, quanto em capacidade de adaptar a produção para atender diferentes paladares e lógicas de faturamento”, explica Rodrigo Iglesias, diretor da área de exportação da Abimapi.

Com forte atenção dedicada às Américas, a rodada de negócios deve fortalecer a venda de biscoitos de formatos e sabores tradicionais, mas também levar lançamentos e produtos variados como bolos e massas instantâneas a novos mercados.

Dentro dessa gama de novas possibilidades, destacam-se em especial as marcas que brigam pelo mercado de snacks sem glúten, lactose e açúcar. É o caso da mineira Araunah Foods, detentora das marcas Good Soy e Belive. Indo para a sua terceira participação na rodada de negócios, a empresa já conseguiu fechar exportações para Argentina através da feira.

“Nosso mercado é muito mais nichado, mas entendemos que a rodada de negócio do congresso é uma ótima oportunidade para acessarmos potenciais compradores de forma mais assertiva, com um baixo investimento”, explica a gerente de novos negócios da marca, Ana Ma Sus.

As vendas através de exportação da marca representam hoje cerca de 3% do faturamento total da empresa. No entanto, a rodada de negócios deve ajudar a Araunah a expandir as vendas para outros países latino americanos, como o Chile. “Para a empresa crescer, não podemos apenas olhar para o mercado interno. Devemos estar atentos a novas oportunidades”. completa a gerente.

Para ela, um bom exemplo é o mercado de produção terceirizada de marcas próprias, uma tendência apresentada nas edições anteriores do congresso e que até então não era cogitada pelos gestores da empresa. “Hoje já nos preparamos para atender outras marcas que querem usar a nossa linha fabril”, finaliza.

Fonte: Gazeta do Povo

Fonte:
http://brazilmodal.com.br/2015/highlights/congresso-do-setor-de-biscoitos-espera-fechar-us-10-milhoes-em-exportacoes/